Síndrome do Pânico

Oii meninas, vim contar pra vocês sobre o que aconteceu comigo e a síndrome do pânico.

Resultado de imagem

Primeiro queria deixar bem claro que ninguém é igual a ninguém, as coisas acontecem de formas diferentes para todos.

Definição da Síndrome do Pânico pela Wikipédia

Transtorno de pânico ou Síndrome de pânico é um transtorno de ansiedade caracterizado por um intenso medo ou/e mal-estar com sintomas físicos e cognitivos que se iniciam de forma brusca e alcançam intensidade máxima em cerca de 5 minutos e causando medo de morrer persistente e recorrente, o que aumenta a chance de outros ataques. No Brasil, cerca de 1% da população tem um ataque de pânico por ano e 5% dos adultos relatam já terem tido pelo menos um ataque de pânico na vida, 1% deles acompanhado de agorafobia

Vou tentar resumir a história. 

Trabalhei 5 anos na mesma empresa, era como minha segunda casa, até que fiquei trabalhando sozinha no administrativo, antes éramos em 3 as vezes 2. 
Eu que gosto pouco de falar rsrsrs, ficava sozinha boa parte do dia. Até então tudo bem, foi então que surgiu a vaga de gerente, eu que já sou formada, já tinha 5 anos de empresa esperava pela oportunidade, maaaas nem tentaram, contrataram um homem! Claaaaro né.....

Só que o infeliz, não sabia nem mexer em e-mail, não sabia usar Excel e por ai vai. Eu só passava raiva. 
Me vi todos os dias desestimulada no trabalho, achava que eu não era capaz, via minha vida indo pelo ralo, não ficava com meus filhos, passava o dia todo dentro da empresa e passei a ter medo da morte.

Juntamente como tudo isso, eu estava morando na casa da sogra até que a minha casa ficasse pronta, isso agravou muito, já fazia 1 ano que eu estava lá, eu queria alugar mas meu marido não queria (claro né, ele estava perto da mãe, mas eu não). Chorava todos os dias, implorava à Deus que não me levasse antes de eu poder viver, pois sabia que aquela não era a vida que eu queria pra mim, eu queria viver.

Meu pensamento não me obedecia mais. 

Quando eu estava fazendo algo de bom, eu só conseguia pensar "depois que eu morrer não vou mais fazer isso, as pessoas vão me enterrar e vão me deixar sozinha no cemitério e vão viver suas vidas".

Quando esses pensamentos vinham, eu passava mal, me dava falta de ar, tontura, sensação de morte, o coração acelerava, doía minha barriga, meu corpo gelava, era como se eu estivesse morrendo. Isso me causava enorme desespero, e as pessoas não sabiam como me ajudar. 

O diagnóstico

Foi quando um dia minha filha teve febre e levei ela ao Pronto Socorro, só que comecei a ter medo dela morrer, eu olhava pra ela e não via melhora, via aparece manchas vermelhas nela, achava que ela estava morrendo. 
Foi quando eu passei mal e desmaiei. 

Fui atendida ali mesmo, eu não parava de chorar, tremer e pedir pra não me deixarem morrer, nada me acalmava. Minha mãe chegou, ela nunca tinha me visto daquele jeito, só meu esposo. Ela chorando perguntou ao médico o que eu tinha, ele então pediu a presença de um psiquiatra, ali eu tremia mais ainda chorava sem parar, os médicos me fizeram perguntas, eu respondi a todas ainda chorando, até que veio o veredicto. "Você está com Síndrome do Pânico", me passou remédios para tomar.

No outro dia, tomei o remédio, meu Deus! Foi pior ainda, piorei, parecia que os sintomas tinha piorado. Procurei pessoas que já tiveram esse problema e me relataram que é assim mesmo nos primeiros dias. Foi ai que pensei, "como assim, vou tomar um remédio pra ficar pior? Eu sou forte, preciso sair dessa sem remédio."

Foi quando parei pra analisar minha vida, sobre quando isso começou e o que fazia piorar. Entendi que meu trabalho, o lugar que eu morava, tudo isso fazia eu ficar pior. Foi então que consegui convencer meu marido a alugar uma casa até nossa casa ficar pronta, isso demorou mais 3 meses só, e pedi pra me mandarem embora do emprego, graças a Deus eles aceitaram.

A partir daí tudo ficou melhor. Claro que ainda tive crises, com menor frequência. E óbvio também, que nem todas as pessoas vão conseguir identificar as causas disso, pois nem sempre é simples e claro como era no meu caso. Mas de uma coisa tenho certeza, dinheiro nenhum no mundo paga sua saúde, sua  paz e sua felicidade.

Lembrando que sou muito apegada a Deus, sempre falei com ele durante todo esse tempo, não me afastei, pelo contrário, só o amei mais ainda, e pedia que ele me deixasse com meus filhos. É um medo que nem mesmo eu sei explicar. Algo incontrolável. 

Hoje trabalho como Pedagoga (minha formação), já moro na minha tão sonhada casa e estou bem mais feliz. 

Gente se eu esqueci de falar algo, me desculpem, ainda é muito novo pra mim falar sobre isso de maneira natural, ainda tenho medo que volte rs, só tomei os remédios por dois dias, e depois de um tempo mais um dia por uma crise de ansiedade quando a casa estava quase pronta rsrs....

Bom fico por aqui, pretendo gravar um vídeo sobre o assunto. Vamos ver se crio coragem de dar as caras rsrsrs 

Miiiil beijos a todos!!!!

Obrigada pela compreensão desse tempo longe de vocês!



2 comentários

  1. Parabéns pela coragem... Parabéns por acreditar em si mesma e dar a volta por cima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!!! Nunca é fácil, mas podemos conseguir!!

      Excluir